sexta-feira, agosto 04, 2006

Séculos vazios


O cair das máscaras embaralha
identidades e predestinações.
Em pleno século vinte e um
tiramos caixas dentro de caixas
na última caixa não tem um anel,
ela está vazia.
Século dos vazios?
Silêncio de conteúdos?
Aquela música sertaneja (sic)
no último ponto do dial de volume
de meu anônimo vizinho
obriga-me a tapar as orelhas.
Os loucos estão cada vez mais próximos
estranhamente próximos.
O mundo transborda destes bardos
desrespeitosos e maléficos.
Precisamos de novos destinos.


Postar um comentário