domingo, agosto 13, 2006

Sedução do nada



Não é o tudo que me seduz
O que me seduz é o nada
As saliências e as entrelinhas
O oco e o vazio.
Buracos me enchem os olhos
Terreno baldio brilha
Crateras parecem-me lindas
Abismo é encantador
Núcleo dos átomos
É uma ilhota
Em oceano de vácuo.
Espaços desocupados
Ausências e silêncios
Ícones de sedução
e da controvérsia:
Preenchê-los com a beleza
que eu queira
ou admirá-los
em desmatéria sólida?

Postar um comentário