sábado, setembro 02, 2006

Branco súbito e silêncios doentios



Deu um branco súbito
Passei a enxergar tudo preto
Branco e preto são minhas cores
Excesso e ausência cromática
Visão de mundo
Esquecimento
Forma de sobrevivência
Esquecer para viver
Lembrar para morrer aos poucos.

Ainda sou amante dos silêncios
Todos os silêncios do mundo
Reunidos em meu pensamento
Conduziriam à vida eterna
Submerso em imenso nada?
Então aceito alguns barulhos:
Canto de pássaros
Som das águas
Vozes femininas em momentos de ternura
Algumas músicas
Para tecer a vida.

O que fazer com ruídos de cidades?
Que equilíbrio para cores e sons?

Postar um comentário