domingo, outubro 01, 2006

Poema singelo



Se te dói o dente
mastigues gelo;
Se o espelho diz - feio,
mudes o corte do cabelo;
Se sentes frio à noite
deixes crescer o pelo
ou me uses como cobertor;
Se precisas de companhia
eu te cuido com zelo;
Se tens perguntas sérias
te respondo com desvelo;
Se me convidas para vadiar
vou tirando o chinelo
te banho em caramelo
te levo a sonhos em amarelo
outras cores eu tiro do prelo
para imprimir em teu corpo
sol nascente em castelo.
Amanhã, se nescessário,
desfazemos o elo
das correntes metafóricas
que nos une pelo cerebelo.


Postar um comentário