segunda-feira, outubro 16, 2006

Silêncio em cores



Silêncios plásticos
eloqüência dos vazios
vocação para o deserto:
aprendizagens com o envelhecer.

Aprender é mudar de comportamento
Morosidade e passos lentos
ganhos da terceira idade
na aprendizagem da convivência
com a lentidão dos calcanhares
com códigos de palavras não ouvidas
com a simbologia dos entreolhares.

Conviver com os silêncios
é sonhar em cores sérpia:
ouvir apenas os quereres
vindos do interior da epiderme
ou os rumores desenhados
nas contra-luzes das rugas
no rosto vincado de sabedoria.

Todos os mistérios vêm das sombras,
é na penumbra que nos desnudamos.
Tom pastel dos silêncios
brinca na memória dos bem vividos.

Postar um comentário