sexta-feira, dezembro 01, 2006

Cansaço da poesia


Uma de minhas poetas preferidas cansou de ser poeta;
Malcriação de criança,
Darei uma resposta apenas.
Não serei delicado
Nem curto
Nem grosso.

Tu não tens mais o poder de decidir
Entre ser ou não ser poeta.
Cansada ou não tu ÉS poeta.
Todos que te acompanham
Em teu blogfúndio já definiram
Rotularam
Mediram
Se emocionaram com teus escritos:
Tu És poeta. E das boas.
E todas as emoções que eu tive,
jogo-as onde?
E todas as frases que te dediquei em resposta,
apago-as?
E todas as vezes que te amei entre linhas e letras,
sublimo-as?
Crises passam.
Eu fiquei dez anos sem escrever linha.
De repente, um olhar e um sorriso
(e um beijo) de uma certa mulher (outra):
Recordei que escrever é necessidade básica,
Fruição exigida pelas minhas vozes interiores.
Escrever é exercício de sanidade.
Portanto, escreva.
Mas se não tiver mesmo vontade
Dê um tempo
Até tuas inquietações se domarem.

Postar um comentário