domingo, fevereiro 08, 2009

As sombras e as almas



Gosto, à noite, quando o silêncio se avoluma. 
Paradoxalmente, dos sons distingue-se os timbres. 
Mas, sou homem diurno, de sol bem quente, 
quando as sombras são contrastantes.

Há riscos evidentemente: 
em dias de verão escaldante 
as sombras costumam ganhar vida própria 
lutam com as almas dos viventes 
apoderando-se de suas vontades. 
É quando a preguiça os alcança.


Postar um comentário