sexta-feira, março 27, 2009

PALAVRAS CAPTURADAS I



Lançamento:
a forma vem antes da força
a força alcança a forma
esta se espalha pelo chão de espelhos
imagens de convidados para a festa.
Imagens disparadas
imagens esquecidas.
Dança serpentina
parangolés de Oiticica.
Intensidade
velocidade
captura
coerência
tudo presente nos jardins
e na troca de aflições dos convivas
tantas aflições presentes
nas imagens e nos objetos reais
presentes
de carona na janela.

Paixões da história 
ou paixões pelas histórias repetidas
(a história sempre se repete
as estórias sempre se recontam)
que movimenta os adoradores de imagens?
Santa fotografia
Santo cinema
Santa dança.

Dança é conhecimento
dança é presença particular
na captura das imagens
movimento
dança generosa
na captura de linguagens.
Os filhotes da dança
gazeificam o cenário
contaminações ativas disparam imagens
desaparecem seres humanos
até não humanos presentes
nos entreatos:
capturar o tempo
capturar a memória
guardar as palavras no armário.

Algumas coisas só tem sentido
para nossas paixões 
para nossos desejos.
Em meu caderno não desenho bailarinas:
escrevo fórmulas matemáticas
deseho projetos de peças mecânicas.
Papel, letras escritas, negociações.
Alguns objetos são mais efêmeros que outros.
Utensílios
ferramentas
aparelhos de barbear
relógios de sol
permanecem.
Outros são corroídos facilmente
ferrugens
bactérias
roedores
se instalam
e a matéria se efemera 
lentamente
lentamente
lentamente
desaparece: 
coerência do mundo. 
A coerência basta?
Todos se satisfazem com esta coerência mundana?
Ou precisamos dilui-la?


Postar um comentário