sexta-feira, maio 07, 2010

RELEITURAS ROSEANAS 11




Sujeito irregular na paisagem
Não se enxergava desumanamente postado na praça
Vestido em trajes festivos
Rodeado pela patuléia trapejante
Ofuscando suas mortais feiúras.

Postulava emergências
Maniqueava palavras fugidias
Tentando fazer-se entender.
Massa ignara não compreendia
Pensamentos ambulantes
Somente costumeiramente invocados à repetição.

Desistiu: caminhou.
A turba incrédula
Viu-o desaparecer-se nos portais imaginários
Do fim da rua, no fim da cidade:
O estranho cidadão e seu vocabulário
Descabido no ambiente.


Postar um comentário