domingo, maio 09, 2010

VALE A PENA VIVER Nº 08





O mundo cresce com as metáforas dos poetas
É o barro do chão quem afirma:
Pedra maldita no meio do caminho
Não machuca, transforma-se em palavra
O gorjeio dos pássaros inunda arvoredos
A luz da manhã desbota paredes
Vênus amanhece vez ou outra ao anoitecer
Os seios das mulheres enaltecem-se ao caminhar
O coaxar dos sapos desafia toureiros
As inexplicações dos sábios são incompreensíveis
Aos passos das seriemas.
Para todas as desmedidas da natureza
Quero olhos de lê-las,
Transformar-me, eu mesmo, em metáfora
Ser mumificado em Poesia:
Secularizar-me-ei por isso.


Postar um comentário