sexta-feira, setembro 23, 2011

CURTA 126

A poesia é mundana,
quase pagã.
Nasce na mentira das estórias.
Chega, no máximo, à meia verdade
do lumiar das lamparinas.
Postar um comentário