sábado, junho 30, 2012

NOTAS DE LEITURA EM REVISTA DE BORDO 6


1. Dormir e acordar com os objetivos na cabeça é o novo jargão da administração e marcketing. Eu prefiro dormir com questões mais exóticas e eróticas na cabeça. E acordar também. Talvez por isso sou meio canhoto.

2. Marcelo Bratke toca Villa-Lobos mundo afora. E tem um projeto de gravar oito CD, dois já foram lançados. Nota interessante: Marcelo nasceu no mesmo ano que Villa morreu.

3. Patrícia Highsmith, autora de O Talentoso Ripley, tinha um talento enorme para o romance policial bem como para as transgressões na vida amorosa, esta quase nunca feliz. Vivia em deslocamento, viajava como respirava.

4. Fritz, the Cat, foi morto pelo autor porque ficou famoso demais. Hoje está mais famoso ainda  e é motivo de exposição em Paris.

5. Uma colorida linha do tempo, a Cronologia da Moda, começa com Maria Antonieta, rainha, revolucionária no modo de se vestir e de se comportar.

6. Na arte, principalmente, os limites entre a verdade e a ilusão são mera ilusão. Sem fronteiras aparentes.

7. Violeta Parra está nos cinemas. A história da minha muito amada cantora chilena está contada em Violeta Foi para o Céu. Sua música e voz acalentavam minha filha Rafaela.

8. Uma deliciosa forma de conhecer a cultura de um povo é comer na rua. Alguns exemplos de minha alçada: - um abacaxi no espeto no Mercado Central em Belo Horizonte; - uma crepe na Place de Contrescape em Paris; - um acarajé “quente” na praça Carlos Gomes em Salvador; - um espetinho de camarão em praias capixabas; - um sanduiche de peru nas ruas subterrâneas de Washington. Bom tema para virar série.

9. Um jovem estudante de escola pública de periferia, filho de pais semianalfabetos, ganha nota 7 no vestibular. Outro jovem de classe social de alto poder aquisitivo, com ensino médio em escola particular de elite e intercâmbio no exterior ganha nota 8. Quem merece a vaga na universidade?

10. O mochileiro que fui no passado não atrapalha o profissional performático que hoje sou. Pelo contrário. E minha maneira de me relacionar com as pessoas é a mesma.

quarta-feira, junho 20, 2012

RELEITURAS ROSEANAS 14


Todos os lugares são longe
no frio fino da desvontade.
Todos os lugares são perto
no calor da fome estradeira.
Quem fica ajunta penduricalhos,
quem parte por precisão ou desejo
carrega levezas no alforge.
Quem fica se encolhe em ferrugens,
quem parte solfeja temporais
e volta mais jovem nos olhos:
visões das distâncias rejuvenescem. 

segunda-feira, junho 18, 2012

CURTA 162


Governos são como elefantes:
não esquecem.
Escondem-se em decretos
e penalizam infortúnios. 
Sempre é justa causa
ser contra governos.

CURTA 161


Os olhos de Claire Pauli
brilham no escuro.
Rastros de luz em minhas trilhas,
lanternas de cristal puro.


Les yeux de Claire Pauli
brillent dans la nuit.
Traces de lumière sur mes parcours,
lanternes en cristaux pures.

CURTA 160


Ella vestia um colar de pérolas
sobre pele negra, contra-luz.
Só um colar de pérolas.
Quanta beleza, quanta dignidade!


Ella portait un coulier en perles
sur sa peau noire, contre-lumière.
Un coulier en perles, plus rien.
Quelle beauté, quelle dignité!


CERTAS VALENTIAS


Tomei sol torso nu
a menos cinco de temperatura 
e três mil de altura.
Encarei gigante de dois metros,
por não levar desaforo para casa,
peguei boi pelos chifres,
pisei descalço em brasa.


Perde-se, ao envelhecer,
certas valentias.
Tenho medos à luz do dia:
qualquer inverno ouropretano
me amolece;
qualquer curva da estrada
me arrefece;
qualquer anoitecer anuviado
me entristece.



sexta-feira, junho 15, 2012

CURTA 159



Descrever a aldeia
é falar ao universo?
Queria ter terra,
nasci inverso.
À margem de estrada
cresci andarilho, confesso.
Pés criaram calos, não raízes:
Continuo travesso!

quinta-feira, junho 14, 2012

OBJETOS 39


Objetos para espantar mau olhado:
arruda rameira plantada no jardim;
ferradura usada em destaque na sala;
réstia de alho na mesa da cozinha;
paixão grande por uma pessoa
dessas de desarmar despropósitos.

quarta-feira, junho 13, 2012

VALE A PENA VIVER Nº 16



Polvilho das melhores mandiocas
ovos de galinha caipira
copim de óleo para dar liga
sal em pequena pitada
queijo (ralado) só existente em Minas.
Junte-se a esses ingredientes básicos
mãos ágeis e pacientes
aragens de nossas montanhas
meia hora a cento e oitenta graus.
Serve-se com café feito na hora
queijo canastra acompanha bem
lascas de pequi para os mais ousados
requeijão com raspa preferem outros. 
A prosa é elemento fundamental:
mínimo, duas pessoas;
máximo, conforme tamanho da mesa.
Melhor não comer sozinho -
melancolia escolhe os solitários.
Pequeno risco: não ver a hora passar;
grande risco: comer longe de casa
(lágrimas adoram distâncias).
Vale a pena viver
com esses prazeres sem hora marcada.

(para D. Jandira, que faz o melhor pão de queijo do mundo)

sexta-feira, junho 01, 2012

CURTA 158


Meus óculos polifocus
obrigam-me
a olhar pelas narinas:
só vejo onde o nariz aponta.
No entanto (sorte minha?)
cheiro bem mais 
que os olhos miram.

CURTA 157


Síntese da vida
em quatro palavras:
duas variáveis físicas 
(tempo e trajetória);
duas variáveis metafísicas
(vontade e talento).
Todas sem controle remoto.