segunda-feira, julho 23, 2012

NOTAS DE LEITURA EM REVISTA DE BORDO 8


1. Divertir-se é manter-se em conexão com o mundo? Não se diverte sozinho hoje em dia? Afasto-me do mundo para uma semana de diversão. Solitária.

2. Como físico, acredito que tudo na vida se reduz a divagações filosóficas e poéticas sobre o espaço e o tempo. Como poeta, penso em como são importantes todas as medidas físicas sobre o espaço e o tempo.

3. No hemisfério sul todos os sons são primitivos e trazem frequências tamboriladas das estepes e savanas africanas. Nós apenas distorcemos os sons ao sonarem através das montanhas ou das árvores retorcidas dos cerrados.

4. Contra a ignorância, a curiosidade. Fazer perguntas ainda é a melhor maneira de se chegar ao conhecimento.

5. Sim, sei guardar segredos.Guardei um segredo de família por mais de trinta anos e só revelei que o sabia havia tempos quando ele se tornou conhecido da família. Conheço segredos de cada um dos meus amigos, e os guardo comigo. É uma forma de conservar amizade.

6. Punta Arenas e Torres del Paine. Breve.

7. O melhor café é o que se bebe sem pressa, a sentir o aroma que sobrevoa a xícara, a observar o movimento apressado de pessoas em volta. E, depois do café, continuar à mesa mais um tempinho para se assegurar que toda a mágica do momento foi adequadamente absorvida.

8. Não existe tédio no fim do mundo, onde o Judas perdeu a compostura, mais que as botas. O tempo, usa-se para procurar rotas, caminhos de retorno e a evitar o beco sem saída e o medo. As surpresas substituem o tédio.

9. Tudo é questão de procedimentos!  Atualize-os, normatize-os e verbalize-os. Se não obtiver sucesso fique, pelo menos, com a sensação de que fez a coisa certa (ou procedeu-se corretamente).

10. Emoções de um grão de areia em uma vasta orla oceânica. Ou desértica. São areias. Silicatos dopados com outras matérias, inorgânicas ou orgânicas. Assim me proponho a olhar este vasto mundo chamado Vai-Mundo.

11.Os desertos e as montanhas são galerias de arte ao ar livre. Deixam a farsa inhotinesca no chinelo.

12. Todas as fronteiras seriam quentes? Eu, que vivo entre fronteiras e suas porteiras, imagino que as fontes térmicas lá se instalaram e provocam, se não o aquecimento do planeta, pelo menos o aquecimento de meu corpo.

(para Luisa Carolina -http://analema-rei.blogspot.com)

Postar um comentário