quinta-feira, novembro 14, 2013

NOTAS DE LEITURA EM REVISTA DE BORDO 19


1. Vocação não existe. O cara cresceu na cozinha do restaurante do pai, junto com a mãe, e hoje é chefe de cozinha renomado. Vocação? Carreira bem administrada desde o começo. Paixão sempre vem com o tempo e com a experiência adquirida.

2. Nova Lima - MG tornou-se a capital nacional da cerveja artesanal. Pelo menos uma dúzia de boas marcas. Ô terrinha boa!

3. Escrever está se tornando obsessão para mim. Escrever durante os voos não foi o começo, apenas realçou um desejo escondido. Hoje passo horas do meu dia escrevendo. Que coisa de gente chata, meu! (O "meu" é porque estou indo para São Paulo).

4. A moda é um exemplo interessante, e talvez óbvio, de apropriação das culturas inovadoras dos movimentos sociais. Suas fontes foram muitas, entre elas o movimento hippie dos anos 1960, o movimento punck desde os anos 1970, etc. Os estilistas tem nas ruas seus melhores observatórios. Em breve veremos o movimento dos black-blocs nas passarelas.

5. Amílcar de Castro em duas esposições superpostas: em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. Gente boa é assim, tem obras para vários palcos.

6. Quem nunca jogou totó (ou pebolim) não sabe o que é emoção esportiva.

7. O crachá pendurado no bolso revelava seu prenome: ELIS. Perguntei-lhe se nasceu antes ou depois de treze de janeiro de 1982 (dia da morte de Elis Regina). Ela respondeu: - nasci um dia antes, em doze de janeiro de 1982. Seus pais devem ter sorrido muito no dia doze e chorado muito no dia treze.

8. Em uma Virada Cultural recente hospedei-me em hotel no Largo do Arouche (SP) para acompanhar de perto o dia de culturas múltiplas. Justo no Arouche estava o palco dos cantores românticos populares. Benito de Paula, Jane e Herondy e outros. Quem mais me impressionou foi Odair José. As músicas do cara tocam o fundo escondido e jamais declarado do coração humano.

9. Tem paixões que a gente curte a vida inteira e a mantem encoberta pelas necessidades cotidianas. Até que um dia, sem mais nem menos, elas afloram. Foi assim com os chapéus, agora chegou a vez das jaquetas. 

10. Alex, o cozinheiro punck, nos revela o óbvio. A inovação na gastronomia, na música, na literatura, e em qualquer arte, tem relação direta com as rebeldias, com as contradições, com as irreverências. No entanto, o principal, em qualquer dessas disciplinas, não é o rebelde ou a rebeldia, com ou sem causa. O principal é a própria arte, que une os lugares distantes, onde há pessoas.

Postar um comentário