segunda-feira, maio 19, 2014

CURTA 230


O Amor pede o abraço,
deseja o corpo, 
solicita o cheiro
que o corpo exala,
"encore, en corps",
lacanianamente.
O Amor, encarnado,
se reinventa.


Postar um comentário