segunda-feira, junho 30, 2014

RELEITURAS ROSEANAS 18


Bonanças e tempestades em desalinho
rascunham o passado
em novas realidades:
novas histórias modificam-no
em páginas, contraditórias, reescritas.
Cavalo passou arreado três vezes 
em minha vida: remontei-o.
Três vezes a felicidade bateu
à minha porta: agarrei-me a ela,
não desgrudo nem desapego.
Três vezes as ilusões perdidas
reapareceram: revivo-as
sempre que o coração se aquece.
Três é um número de boa sorte?

Postar um comentário